Torcicolo

Hoje escrevo sobre um tema que tem suscitado algumas questões, o torcicolo dos bebés. Proponho-me explicar em que consiste, esclarecendo as várias nomenclaturas que podem ser utilizadas.

Um torcicolo traduz uma contratura de um famoso músculo da região do pescoço que se chama esternocleidomastoideo. Uma vez que esse músculo é responsável pela inclinação da cabeça para o seu lado e a rotação para o lado contrário, se este músculo está tenso, contraído, vamos observar que o bebé está quase sempre com a cabeça  na posição da imagem abaixo.

O torcicolo mais comum nos bebés é o torcicolo muscular congénito. Congénito porque o bebé já nasce com ele. Existem torcicolos congénitos, menos frequente, em que a causa da alteração muscular é normalmente uma má formação óssea.

No caso dos torcicolos musculares congénitos, podemos ter ou não a presença de uma tumefação, isto é um carocinho no músculo, que aparece poucas semanas após o nascimento e desaparece pelos 3 meses, que traduz uma fibrose muscular. Essa alteração é detetada por palpação, se for grande, ou numa ecografia. Existem várias teorias que procuram explicar o aparecimento desta lesão mas deixo para outro post.

É importante perceber que nem sempre existe esta lesão, mas o músculo apresenta contratura e a cabeça uma posição de inclinação/rotação contrária, com limitação da inclinação/rotação para o lado aposto ao do torcicolo.

Assim, se fizerem uma ecografia e esta for negativa, mas o vosso bebé apresentar esta postura da cabeça e dificuldade no movimento contrário, esses são sinais de alerta que devem motivar o tratamento e o início das medidas de posicionamento e estimulação em casa.

Muitas vezes o torcicolo está associado a uma plagiocefalia, podendo ser causa ou consequência da mesma. Se devido ao posicionamento no útero ou a um parto mais traumático o bebé nasce com uma assimetria da cabeça e/ou face, tendencialmente irá desenvolver um torcicolo posicional/postural, de adaptação à forma da cabeça. Uma plagiocefalia também pode ser uma consequência de um torcicolo muscular congénito. Se o bebé devido à contratura do músculo está sempre apoiado sobre a mesma zona da cabeça, esta começará a aplanar nesse ponto.

O que tinha de mais importante para vos dizer? Seja qual for o tipo de torcicolo que o vosso bebé apresentar, este necessita de tratamento. Não passa sozinho, apenas assume outras formas, canaliza a assimetria para outras zonas do corpo, tornando-se menos percetível.

Marque a sua avaliação para perceber melhor o torcicolo do seu filho e sair com estratégias que pode começar a implementar em casa desde o primeiro dia.

Nem sempre é fácil escrever para um público que vai desde pessoas que não têm qualquer contacto com temas de saúde a especialistas na matéria, procurando não me alongar demasiado porque temos pouco tempo para leituras extensas, mas espero ter esclarecido algumas questões.

Deixe um comentário